Para que um produto sem fumaça seja bem-sucedido na redução de danos, o produto deve apresentar menos risco – comparado a fumar cigarros continuamente – e ser uma alternativa aceitável para adultos fumantes, de forma que esses mudem totalmente para o produto. Além do gosto e outros aspectos sensoriais, é importante uma ingestão de nicotina comparável à dos cigarros para que se obtenha aceitação por parte dos adultos fumantes.

 

Produtos sem fumaça contêm nicotina – eles ainda possuem risco?

 

Produtos que contêm tabaco e/ou nicotina não são sem risco. Crianças e adolescentes, mulheres grávidas ou amamentando e pessoas com condições existentes, como doença cardíaca, hipertensão ou diabetes, não devem utilizar tabaco ou produtos que contenham nicotina. Em especial, crianças e adolescentes não devem ter acesso a tabaco ou produtos que contenham nicotina.

Descrito no relatório US Surgeon General’s 2014, por exemplo, vários estudos em animais demonstraram que o consumo de nicotina por adolescentes pode prejudicar o desenvolvimento cognitivo 1.

Porém, vários estudos independentes mostraram que, embora a nicotina não seja sem risco, não é a causa primária das doenças relacionadas ao tabagismo2.

A maioria dos efeitos nocivos provocados por fumar cigarros é causada pelos produtos químicos formados quando o tabaco é queimado.

Eliminar a combustão e, consequentemente, reduzir drasticamente os níveis de componentes nocivos  – conhecidos como constituintes nocivos e potencialmente nocivos, ou HPHCs  – é a base do desenvolvimento de produtos sem fumaça.

Enquanto reduzimos ou eliminamos HPHCs, nossa meta também é oferecer um ritual e nível de nicotina comparável a cigarros para ajudar a garantir que adultos fumantes, que de outra forma continuariam a fumar, possam mudar totalmente para o produto.


 

“A nicotina em si não é especialmente perigosa, e se ela pudesse ser fornecida de uma forma aceitável e eficaz, como um substituto do cigarro, milhões de vidas poderiam ser salvas.”

― Leia o relatório do Tobacco Advisory Group

[1] The Health Consequences of Smoking—50 Years of Progress: A Report of the Surgeon General

[2] Read the report of the Surgeon General.