Para que um produto sem fumo obtenha bons resultados na redução dos malefícios causados pela combustão do tabaco, tem de ter um risco mais baixo, comparado com o consumo de cigarros, e constituir uma alternativa aceitável para os atuais fumadores adultos, para que estes os adotem por completo. Além do sabor e de outros elementos sensoriais, para haver aceitação por parte dos fumadores adultos, é importante que a assimilação da nicotina seja feita de forma comparável à dos cigarros.

 

Alguns produtos sem fumo contêm nicotina – continuam a constituir um risco?

 

Os produtos que contêm tabaco e/ou nicotina não estão isentos de risco. Menores, mulheres grávidas ou mães a amamentar, bem como pessoas com determinadas condições, por exemplo, doença cardíaca, tensão arterial alta ou diabetes, não devem usar produtos de tabaco ou que contenham nicotina. Os menores, em particular, não devem ter acesso a produtos de tabaco ou que contenham nicotina.

No Relatório de 2014 do US Surgeon General, por exemplo, vários estudos realizados em animais revelaram que o consumo de nicotina nos adolescentes pode prejudicar o seu desenvolvimento cognitivo1.

Mas vários estudos independentes revelaram que, embora a nicotina não esteja isenta de riscos, não é a principal causa de doenças relacionadas com o consumo de cigarros2.

A maioria dos efeitos nocivos causados por fumar cigarros é provocada pelas substâncias químicas que se formam quando o tabaco é queimado.

Eliminar a combustão e, em resultado disso, reduzir drasticamente os níveis de compostos nocivos – conhecidos como constituintes nocivos e potencialmente nocivos, – são os pilares do desenvolvimento dos produtos sem fumo.

Além de reduzir ou eliminar os constituintes nocivos e potencialmente nocivos, o nosso objetivo é também o de proporcionar um ritual de sabor e um nível de nicotina comparáveis aos dos cigarros, para garantir que os fumadores adultos que, de outra forma, continuariam a fumar, podem adotar completamente estes produtos.


 

“A nicotina, por si só, não é especialmente perigosa, e se a nicotina puder ser disponibilizada de uma forma que seja aceitável e eficaz como um substituto do cigarro, milhões de vidas poderão ser salvas.”

―  --- Ler o relatório do Grupo Consultivo de Tabaco

[1]  [1] The Health Consequences of Smoking – 50 Years of Progress: Um Relatório do Surgeon General

[2] Um Relatório do Surgeon General.